MongoDB: Instalação no Linux

Há algum tempo atrás me interessei pelo MongoDB e resolvi estudá-lo um pouco mais. Fiz um treinamento gratuito disponível no próprio site do fornecedor, e tenho desenvolvido algumas coisas com ele desde então.

Para quem decidir estudar e desenvolver com o MongoDB eu recomendo fortemente, pois apesar de ser uma abordagem totalmente diferente da relacional, à qual estamos mais acostumados, é muito simples de entender e bem satisfatório de usar.

A intenção deste post não é fazer uma introdução ao MongoDB (sugiro, para quem se vira um pouco com o inglês, fazer o curso oferecido pelo site oficial do produto), mas deixar um rápido passo-a-passo de como instalar o MongoDB em um sistema Linux e instalar os driver para algumas linguagens.

Os comandos de instalação abaixo foram os que utilizei com sucesso em minha distribuição Linux (Mint 17.3).

 

Instalação do MongoDB

 

1) Importar a chave pública usada pelo sistema gerenciador de pacotes:

$ sudo apt-key adv –keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 –recv EA312927

2) Criar um list file para o MongoDB:

$ echo “deb http://repo.mongodb.org/apt/ubuntu trusty/mongodb-org/3.2 multiverse” | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/mongodb-org-3.2.list

3) Atualizar informações dos pacotes:

$ sudo apt-get update

4) Instalar o MongoDB

$ sudo apt-get install -y mongodb-org

Depois de finalizada a instalação, execute o comando abaixo para verificar a versão do MongoDB instalada:

$ mongo –version

img-1

Para inicializar o MongoDB, execute o comando abaixo:

$ sudo service mongod start

img-2

A instância do MongoDB armazena seus arquivos de dados no diretório /var/lib/mongodb, e seus arquivos de logs no diretório /var/log/mongodb por padrão, e executa com a conta de usuário mongodb. Se necessário é possível alterar os diretórios de log e dados no arquivo /etc/mongod.conf.

A verificação de que o processo mongod iniciou com sucesso pode ser feita através do arquivo de log /var/log/mongodb/mongod.log, com uma linha como esta:

[initandlisten] waiting for connections on port <port> (where <port> is the port configured in /etc/mongod.conf, 27017 by default)

Para parar ou reiniciar o serviço do MongoDB use os comandos abaixo:

$ sudo service mongod stop

img-3

$ sudo service mongod restart

img-4

Para iniciar o console do MongoDB digite o comando abaixo:

$ mongo

img-5.png

> show dbs

img-6

Para sair do console do MongoDB basta digitar CTRL+C.

Para a instalação em outras distribuições ou sistemas operacionais, você pode consultar as instruções no site do projeto.

 

Instalação do Driver para Python

A instalação do driver do MongoDB para Python pode ser feita através do pip, com o comando abaixo:

$ sudo pip install pymongo

Caso não tenha ainda o pip instalado, execute o comando abaixo para instalá-lo:

$ sudo apt-get install python-pip

 

Instalação do Driver para PHP

A instalação do driver do MongoDB para PHP pode ser feita através do pecl, com o comando abaixo:

$ sudo pecl install mongo

Caso não tenha o pecl instalado, execute os comandos abaixo para a instalação:

$ sudo apt-get install php5-dev

$ sudo apt-get install php-pear

Depois de instalado o driver é necessário habilitar a extensão do MongoDB para o PHP, incluindo no arquivo php.ini a seguinte linha, na seção de extensões:

extension=mongo.so

O arquivo php.ini costuma estar no seguinte local:

/etc/php5/apache2/php.ini

Depois de salvar a alteração, reinicie o apache:

sudo /etc/init.d/apache2 restart

Depois disso você pode criar um arquivo chamado info.php com o conteúdo abaixo, e incluí-lo no seu diretório de publicação do apache:

<?php phpinfo(); ?>

Depois, ao acessar o arquivo, deve ser possível encontrar uma seção relacionada ao MongoDB:

img-10.png

 

Instalação do Driver para Java

Para o desenvolvimento em Java, supondo que você esteja usando o Maven, basta adicionar a dependência ao seu pom.xml:

img-9

 

Por hora é isto!

Em breve pretendo publicar posts com exemplos de utilização do MongoDB nestas linguagens, e algumas outras dicas conforme os estudos avançarem.

 

Abraços!

 

 

 

 

Anúncios

Modem Huawei E226 no Ubuntu 7.10

Em dezembro resolvi contratar o serviço de banda larga móvel da Claro. Ao conversar com o atendente, fui informado de que nenhum dos modens tinha suporte ao Linux, e que o modem Huawei E226 tinha suporte ao Windows e ao Mac. Pois bem, esta foi minha escolha.huawai_claro


O atendente ainda me disse que alguns de seus clientes já tinham relatado o sucesso na configuração do modem no linux, então tive a esperança de encontrar na internet algum artigo que explicasse esta tal configuração.
Resolvi então procurar alguma coisa na internet, e de cara encontrei um artigo que dizia ser muito fácil esta configuração. Um dos artigos prometia a tal configuração em apenas 3 minutos.
Pois bem, depois de mais de uma hora tentando configurar o modem, ainda não tinha conseguido realizar uma conexão. O modem estava funcionando, constatação feita pelo led que indica a atividade do aparelho, mas nada de conexão.
Em um outro artigo, encontrei a explicação para o problema: apesar de o modem funcionar, os endereços DNS obtigos pelo modem não respondem.
Era necessário então mudar os endereços DNS após a inicialização do aparelho.
Tentei utilizar os endereços informados no artigo, mas não obtive sucesso com os mesmos.
Só consegui realizar a conexão, por fim, utilizando um outro endereço DNS encontrado em um outro artigo, que não é um dos endereços DNS da Claro.

Abaixo segue um resumo do que eu fiz para que o modem funcionasse, no meu caso.

Criei o arquivo wvdial-huawei.conf, no diretório /etc, com o seguinte conteúdo:

[Dialer Defaults]
Carrier Check = off
Init1 = ATZ
Init2 = ATQ0 V1 E1 S0=0 &C1 &D2 +FCLASS=0
Password = claro
Ask Password = 0
Check Def Route = 1
Phone = *99#
Idle Seconds = 0
Modem Type = Analog Modem
Stupid Mode = 1
Compuserve = 0
Baud = 460800
Dial Command = ATDT
Modem = /dev/ttyUSB0
ISDN = 0
Username = claro
[Dialer claro3g]
Stupid Mode = on
Password = claro
Auto Reconnect = off
Username = claro
Phone = *99#
Auto DNS = 0
Check DNS = 0

Depois criei o arquivo resolv.huawei.conf, também no diretório /etc, com o seguinte conteúdo:

nameserver 4.2.2.2

Como comentei acima, um dos artigos indicava a utilzação dos endereços de DNS 200.255.121.39 e 200.169.117.14, mas com estes eu não tive sucesso.

Criei, no diretório /home/gustavo/huawei o arquivo huawei.sh, com o seguinte conteúdo:

wvdial –config /etc/wvdial-huawei.conf

Este comando inicializa o modem, e deve ser executado todas as vezes que se deseja inicializar o mesmo.

Criei no diretório /home/gustavo/huawei o arquivo changeresolv.sh, com o seguinte conteúdo:

cat /etc/resolv.huawei.conf > /etc/resolv.conf

Este comando é responsável por modificar os endereços DNS obtidos automaticamente pelo modem, pelo endereço DNS que realmente funciona.

Depois de todos estes arquivos criados, quando quero me conectar, sigo os seguintes passos:

  1. Com o modem já conectado, me logo no console e executo, como root, o arquivo huawei.sh.
  2. Após o término da configuração do modem (isso é visível no modem pelo led azul que fica constantemente aceso, ou pelos logs no console que indicam a obtenção dos endereços de IP e de DNS) executo o arquivo changeresolv.sh.

Feito isso deve ser possível efetuar uma conexão. Escrevo este artigo a partir de uma conexão de sucesso 😉

Leiam os artigos indicados, e atentem para o fato de que é necessário ter o módulo usbserial instalado, que já está presente no Kernel 2.6.

Fica dada a dica!

Dropbox no Ubuntu – Armazenamento gratuito de arquivos on-line

Lendo uma notícia no site da Folha descobri o Dropbox, um serviço de armazenamento on-line.
A opção gratuita do serviço oferece 2GB de armazenamento (há uma opção para de 5 GB). Para ter acesso ao serviço é necessário fazer o cadastro no site.
O gerenciamento dos arquivos pode ser feito por meio do site, mas o serviço oferece um software gratuito, compatível com Windows, Mac e Linux, que cria no computador uma pasta chamada Dropbox, onde ficam armazenados os arquivos da sua conta. É possível, desta maneira, manter sincronizados os arquivos armazenados no site com os computadores onde houver instalado o sistema. O serviço facilita também o compartilhamento de arquivos com outros usuários, cadastrados no serviço ou não.

Download e Instalação para o Ubuntu

Além dos binários e fontes, disponíveis para instalação nos sistemas operacionais citados, estão disponíveis repositórios para o Ubuntu nas distribuições 8.10, 8.04, e 7.10. Os requisitos são:

* GTK 2.12 or higher
* GLib 2.14 or higher
* Nautilus 2.16 or higher
* Libnotify 0.4.4 or higher
* Wget 1.10 or higher

Para realizar a instalação através dos repositórios, basta adicionar no arquivo /etc/apt/sources.list, ou no Gerenciador de Pacotes Synaptic, as seguintes linhas, de acordo com a distribuição:

Ubuntu 8.10

deb http://linux.getdropbox.com/ubuntu intrepid main
deb-src http://linux.getdropbox.com/ubuntu intrepid main

Ubuntu 8.04

deb http://linux.getdropbox.com/ubuntu hardy main
deb-src http://linux.getdropbox.com/ubuntu hardy main

Ubuntu 7.10

deb http://linux.getdropbox.com/ubuntu gutsy main
deb-src http://linux.getdropbox.com/ubuntu gutsy main

Após a configuração dos repositórios, execute o comando:

# sudo apt-get install nautilus-dropbox

Depois de instalado, execute o comando:

# killall nautilus

nota: se você estiver executando o compiz, este procedimento poderá travar sua máquina – faça um logout e se logue novamente ao invés disso.

Criando sua Conta

Tenho que admitir que encontrar o formulário de cadastro não é fácil. A maneira mais rápida que encontrei foi tentar me logar, e uma vez que não estou cadastrado no sistema é apresentada a opção de cadastro:

Formulário de cadastro

Formulário de cadastro

Depois de feito o cadastro no serviço, inicie o Dropbox através do ícone presente na sua barra de tarefas, próximo ao relógio do sistema:

Serviço Dropbox

Serviço Dropbox

Após isso, será apresentada a tela de instalação:

Início da instalação

Início da instalação

Depois de poucas configurações (basicamente informar suas credenciais) o diretório do Dropbox, criado em seu diretório, será sincronizado com sistema:

Diretório sincronizado

Diretório sincronizado

A partir de agora, todo arquivo que você copiar para este diretório, será sincronizado automaticamente com o serviço.

Para maiores informações, leia os tutoriais disponíveis no site do serviço.
Está dada a dica!

[]’s