Preparando um Ambiente de Desenvolvimento Java EE Baseado em Eclipse

Objetivo do Documento

Auxiliar desenvolvedores iniciantes em Java na configuração de um ambiente de desenvolvimento, baseado na IDE Eclipse e em ferramentas open-source, que permita o desenvolvimento de aplicações Java EE profissionais.

Motivação

A plataforma Java, ao contrário da maioria das plataformas e linguagens de programação disponíveis no mercado, apresenta uma infinidade de possibilidades para o desenvolvimento de aplicações. Esta grande variedade não é referente, apenas, à que tipos de aplicações podem ser desenvolvidas, mas também refere-se às tecnologias que podem ser usadas na composição de uma aplicação.

Além da vasta quantidade de tecnologias que fazem parte da especificação da plataforma, há ainda uma diversidade de tecnologias que são adequadas ao desenvolvimento em Java, embora não façam parte das especificações oficiais.

Para um desenvolvedor que pretende iniciar com o desenvolvimento em Java, escolher entre ferramentas de desenvolvimento e frameworks pode ser uma tarefa assustadora. Como reunir “coisas” como Eclipse, NetBeans, Struts, JavaServer Faces, Spring, AOP, JUnit, EJB, Servelts,  JBoss, RichFaces, Facelets, etc… em um ambiente, em uma aplicação? Essa é uma pergunta que certamente todo desenvolvedor iniciante se faz.

Pensando nesta dificuldade, ou necessidade (provavelmente as duas coisas) é que este pequeno tutorial foi desenvolvido. Não existe, porém, a pretensão de se explicar todo o universo de possibilidades de configurações de um ambiente de desenvolvimento, abrangendo todas as tecnologias possíveis. Vamos configurar um ambiente de desenvolvimento que permita a criação de aplicações Java EE baseadas nas principais tecnologias de mercado. A criação das aplicações ficará para uma outra ocasião, mas ter um ambiente pronto para isso já é meio caminho andado. Espero que este tutorial lhe seja útil!

As Ferramentas

O ambiente de desenvolvimento proposto é baseado na IDE Eclipse e em plug-ins gratuitos que permitem o desenvolvimento de aplicações com os principais frameworks do mercado. Abaixo são apresentada as descrições de tais plug-ins:


Plataforma Eclipse

Mais do que uma IDE, o Eclipse é uma plataforma que permite o desenvolvimento de aplicações em diversas linguagens. Esta plataforma apresenta em seu estado mais básico, os recursos mínimos para o desenvolvimento de aplicações. A instalação de plug-ins adicionais é que permite a personalização da ferramenta para uma determinada linguagem.

No site do projeto [1] é possível encontrar instaladores da ferramenta já configurada para diversos propósitos, inclusive para o desenvolvimento Java EE. No entanto, a configuração básica para o desenvolvimento Java EE pode ser melhorada com a configuração de plug-ins adicionais, habilitando a ferramenta para o desenvolvimento com os principais frameworks do mercado.

Durante este tutorial utilizarei a penúltima versão da ferramenta, o Eclipse 3.4 (Ganymede), ao invés de utilizar a última versão, o Eclipse 3.5 (Galileo). O motivo de utilizar a penúltima versão é devido ao fato de que, no momento em que escrevo este tutorial, ainda não há uma versão final (de produção) do plug-in do JBoss Tools para o Galileo, mas a liberação de uma versão final está próxima. De qualquer forma apresentarei uma explicação, ao final, de como reproduzir a configuração na última versão do Eclipse.


Eclipse Web Tools Platform (WTP)

O projeto Eclipse Web Tools Platform (WTP) estende a plataforma do Eclipse com ferramentas para o desenvolvimento de aplicações WEB e Java EE. Estão disponíveis editores visuais e de código para uma grande variedade de linguagens, wizards e aplicações pré-configuradas para simplificar o desenvolvimento, e ainda ferramentas e APIs para dar suporte à implantação, execução e teste de aplicações.


JBoss Tools

Plugin que apresenta um conjunto de ferramentas da JBoss especializados para o desenvolvimento de aplicações WEB e corporativas em Java, dentre as quais pode-se citar algumas:

  • Hibernate Tools (ferramentas para se trabalhar com o framework ORM Hibernate)
  • Seam Dev Tools (ferramentas para se trabalhar com framework Seam)
  • Visual Web Tools  (editor visual que permite trabalhar com qualquer tecnologia web, tais como JSF (suporte a Richfaces), Seam, Struts, JSP, HTML e outros)
  • JBoss Server Manager (ferramentas para gerenciamento do servidor de aplicações JBoss)
  • JSF Tools (ferramentas para desenvolvimento JSF)
  • Struts Tools (ferramentas para desenvolvimento Struts)

Citamos aqui apenas os recursos mais comuns no desenvolvimento WEB, mas muitos outros estão disponíveis, como ferramentas para desenvolvimento de aplicações baseadas em BPM (Business Process Management), Portais, Relatórios, BRMS (Business Rule Management System), etc. Para mais informações, inclusive de como criar projetos baseados em cada uma destas tecnologias, o site do projeto [3] pode ser consultado.


Subclipse

Plugin que permite a integração e gerenciamento de projetos em repositórios Subversion.


EclEmma Java Code Coverage

O EclEmma é uma ferramenta de verificação de cobertura de testes unitários. Com esta ferramenta é possível verificar a porcentagem de código que foi efetivamente testada pelos testes unitários desenvolvidos para a aplicação.

Existem hoje vários frameworks para testes unitários na plataforma Java, e o mais famoso deles é o JUnit, um projeto open-source que atualmente está em sua versão 4.8. A configuração do Eclipse para Java já dá suporte à criação de testes unitários com o JUnit, não sendo necessária a instalação de um plug-in para essa finalidade. Na página do projeto do JUnit [4] você poderá encontrar mais informações a respeito da criação de testes unitários.

Para mais informações sobre o EclEmma, o site do projeto [5] pode ser consultado.

Algumas boas ferramentas de modelagem e desenvolvimento, que não estão disponíveis para a plataforma Eclipse, também podem ser usadas no ambiente proposto, dentre elas eis duas sugestões:


Jude Community/ Astah Community

A ferramenta Jude Community é uma boa ferramenta de modelagem UML gratuita. Por ser uma versão Community possui algumas limitações. Há uma versão Professional disponível, mas os recursos presentes na versão Community podem suprir a necessidade de grande parte dos artefatos necessários no dia-a-dia.

A partir de 2010, a ferramenta será descontinuada, e a Change Vision, empresa responsável pelo Jude, recomenda desde já a utilização da ferramenta que substituirá o Jude, ferramenta esta batizada de Astah. Assim como o Jude, esta ferramenta possui versões Community e Professional. Dentre os recursos da ferramenta estão:

  • Suporte a UML 2.1
  • Diagramas de Classe, Caso de Uso, Sequência, Atividade, Comunicação, Máquina de Estado, Componentes, Implantação, Estrutura de Composição, Objetos e Pacotes.
  • Ajustes de alinhamento e tamanho dos diagramas
  • Impressão dos diagramas (com a marca d’água da ferramenta)
  • Exportação das imagens dos diagramas (com a marca d’água da ferramenta)

Mais informações podem ser encontradas nos sites [6] [7] das ferramentas.


IReports e JasperReports

Durante muito tempo o framework JasperReports foi a principal alternativa para a produção de relatórios para aplicações Java. Hoje é possível encontrar no mercado alternativas a este framework, como o BIRT [8], uma engine de relatórios baseada no Eclipse, inclusive com um editor visual já integrado. Ainda assim, é conveniente ter este ambiente de criação de relatórios devido à sua grande utilização, ainda hoje, por grande parte da comunidade.

O IReports [9] é uma ferramenta visual para a edição de relatórios baseados em JasperReports. Atualmente possui um plug-in para a IDE NetBeans, porém é possível realizar a instalação da ferramenta como uma aplicação a parte.

Instalação e Configuração


JDK

Para a instalação e configuração do ambiente precisamos ter, primeiramente, o Java Development Kit (JDK) instalado. Cada projeto pode ter um requisito diferente quando à versão da JDK, mas é adequado termos a última versão instalada. No momento em que escrevo este tutorial, a versão 6 update 17 é a mais recente. Vamos instalá-la.

Para obter o instalador do JDK acesse o site da Sun [10] e a área de downloads do Java para desenvolvedores. Inicialmente há um menu com as opções de downloads de várias tecnologias. Ao se clicar sobre a opção Java, um menu específico para a tecnologia é apresentado, onde é possível encontrar um link para os downloads para desenvolvedores, conforme imagens abaixo:


Na página que se abre, escolha a opção de download da versão sem bundles, conforme a imagem abaixo:

Na próxima tela escolha a versão mais adequada para seu ambiente e prossiga com o download:

Depois de feito o download, o processo de instalação do JDK é bem intuitivo, bastando seguir as dicas do instalador. Atente-se apenas para os locais de instalação do JDK e do JRE durante o processo de instalação, alterando-os caso julgue necessário:


Após a instalação, configure uma variável de ambiente chamada JAVA_HOME apontando para o diretório de instalação do JDK. O processo de criação da variável de ambiente é específico para cada sistema operacional. Adicione também o diretório “\bin” do diretório de instalação à variável de ambiente “path“.


Após a instalação do JDK, faça o download do Eclipse para a versão de seu sistema operacional, no site de downloads [11] do projeto.

Ao acessar a página de downloads, as versões disponíveis serão referentes a última versão (Galileo). Para encontrar as versões anteriores (nosso caso, para este tutorial) acesso a opção de versões mais antigas da ferramenta:



Ao selecionar a versão do Eclipse, (em destaque a verão mais recente do Ganymede) você será direcionado a uma página com os pacotes disponíveis. Escolha o pacote para Desenvolvedores Java EE. Caso tenha curiosidade de saber a diferença entre cada pacote, acesso o link em destaque na imagem abaixo:


Escolha a versão adequada para seu sistema operacional, nos links à direita.

Depois de fazer o download do Eclipse, o processo de instalação é bem simples. Basta descompactar o arquivo em um diretório de sua preferência. Para este tutorial, farei a instalação em C:\eclipse.

Depois de descompactar o pacote, execute o arquivo executável presente no diretório. A ferramenta será iniciada, e solicitará para que seja informado um workspace (diretório de trabalho). Informe um diretório de sua preferência.



Assim que o ambiente for inicializado por completo, vamos realizar a primeira configuração. Acesse o menu Window > Preferences e na janela que se abre escolha Java > Installed JREs:


Clique no botão “Add…” e na próxima janela escolha a opção Standard VM e prossiga:



Na tela seguinte selecione o diretório de instalação do JDK e finalize:



Ao retornar para a tela de preferências, remova a linha referente ao JRE instalado anteriormente, mantendo somente a linha referente à JDK adicionada:



Instalando os Plug-ins

Até agora realizamos a configuração básica do Eclipse IDE. Vamos a partir de agora, configurar os plug-ins das ferramentas mencionadas.

É importante dizer que para que este processo seja completado, é necessário ter acesso à internet, de preferência com uma boa banda, pois para a instalação dos plug-ins é necessário realizar o download dos mesmos durante a configuração.

Muitos plug-ins oferecem a opção de se fazer o download de arquivos para a posterior instalação offline. Para este tutorial, porém, adotaremos a outra opção, que é fazer a configuração através de “Sites”. Este tipo de instalação é feita através de URLs informadas ao Eclipse, através do qual são feitos os downloads dos plug-ins.

A seguir estão listados os plug-ins que iremos configurar, suas URLs e informações referentes às versões do Eclipse que são suportadas:


JBoss Tools 3.1 (Eclipse 3.5.0 – Galileo)
Site URL: http://download.jboss.org/jbosstools/updates/development/

JBoss Tools 2.1 (Eclipse 3.3.2 – Europa)
Site URL: http://download.jboss.org/jbosstools/updates/JBossTools-2.1.2.GA/

JBoss Tools 3.0 (Eclipse 3.4.2 – Ganymede)
Site URL: http://download.jboss.org/jbosstools/updates/stable/

Subclipse (Versões suportadas do Eclipse: 3.2,3.3,3.4,3.5)
Site URL: http://subclipse.tigris.org/update_1.6.x

EclEmma Java Code Coverage (Versões suportadas do Eclipse: 3.1, 3.2, 3.3, 3.4, 3.5)
Site URL: http://update.eclemma.org/


Antes de iniciarmos, apenas para efeito de comparação, acesse o menu File > New > Other… e veja as opções disponíveis neste momento.  Após instalarmos os plug-ins, volte a este mesmo painel para visualizar as mudanças:


Para iniciarmos a instalação dos plug-ins acesso o menu Help > Software Updates…

Na janela que se abre, há duas abas: Installed Software e Available Software. Na primeira aba estão listados os recursos já instalados na IDE. Clique na segunda aba, e em seguida no botão Add Site…

Vamos instalar primeiramente o plug-in do JBoss Tools para esta versão do Eclipse. Inclua no campo Location a seguinte URL: http://download.jboss.org/jbosstools/updates/stable/


Depois que a ferramenta identificar os recursos do plug-in que estão disponíveis, selecione os mesmos conforme a imagem abaixo:


Após isto clique no botão Install…

Nas próximas telas siga confirmando as operações e aceitando as licenças apresentadas. Aguarde o término da instalação, e ao final será solicitado que você reinicie o IDE.


Após a IDE ter sido reiniciada, repita o processo de instalação de plug-in para os plug-ins do Subclipse (http://subclipse.tigris.org/update_1.6.x) e do EclEmma (http://update.eclemma.org/):


Vale lembrar que o suporte ao WTP já está habilitado por padrão na configuração do Eclipse para desenvolvedores Java EE.

Após estes passos já teremos um ambiente com todos os plug-ins instalados. Acesse novamente o menu File > New > Other… e veja a quantidade de opções disponíveis agora:



A criação de um projeto de exemplo de utilização dos plug-ins está fora do escopo deste tutorial, mas  informações de como criar projetos específicos podem ser encontradas principalmente no site do JBoss Tools.


Instalando as Outras Ferramentas

Ainda falta instalar o IReports e o Astah Community. Vamos então seguir com estas instalações.

Para baixar o IReports acesse o site do projeto [9] e procure pela página de downloads. Muito provavelmente haverá uma opção de download já na página inicial. No momento de criação deste tutorial a última versão disponível é a 3.6.2. Faça o download da versão adequada para seu ambiente:


Após escolher a versão adequada, você poderá se cadastrar ou acessar diretamente o download. Caso queira se cadastrar, prossiga com o formulário indicado, caso contrário acesse a opção apresentada na imagem abaixo para acessar o download do arquivo:


Em instantes o download do arquivo deverá ser iniciado.

Assim que o download terminar, o processo de instalação é bem direto. Algumas opções de download disponibilizam um arquivo compactado, multiplataforma, e neste caso seria necessário apenas descompactá-lo. Para este tutorial baixei o instalador para o Windows, e para este caso o processo de instalação é guiado por um wizard.

Após a instalação você poderá executar a ferramenta, e navegar entre suas opções para conhecê-la.


Um exemplo de relatório está além do escopo deste tutorial, mas não é difícil encontrar exemplos nos sites da comunidade da ferramenta.

Agora vamos partir para a instalação da Astah Community, a ferramenta de modelagem UML. Acesse o site da ferramenta [6] , e procure pela opção de downloads.

Para efetuar o download será necessário se cadastrar no site:

Após realizar o processo de cadastro, será possível ter acesso às opções de download. Faça o download para seu ambiente.

Para este tutorial foi realizado o download do instalador para Windows. Assim como o instalador do IReport, o instalador do Astah é bem intuitivo, bastando apenas seguir as sugestões do wizard, alterando as configurações sugeridas quando necessário.

Após a instalação, execute a ferramenta e navegue em suas opções para conhecê-la.

Um exemplo de projeto UML está alem do escopo deste tutorial, mas com alguns minutos de uso, é possível, para aqueles que conhecem a UML, criar diagramas com a ferramenta.

Com isso encerramos o processo de configuração de um ambiente de desenvolvimento Java EE baseado em Eclipse e plug-ins open-source.

Instalação e Configuração no Eclipse Galileo

O processo de instalação e configuração utilizando o Eclipse Galileo é praticamente o mesmo. As únicas coisas que devem ser observadas são as versões dos plug-ins (somente no caso do JBoss Tools o URL Site é diferente) e as diferenças de telas no momento de informar o Eclipse Site, que no Eclipse Galileo é como a imagem a seguir apresenta:

Conclusões

Como dito inicialmente, o ambiente proposto não atende a todas as possíveis combinações de frameworks do mercado para desenvolvimento Java. Frameworks como Wicket ou Spring, por exemplo, não são contemplados por esta configuração.

O ambiente, no entanto, atende a maioria das necessidades de desenvolvimento para a plataforma Java EE, com frameworks como JavaServer Faces, Struts, Hibernate, entre vários outros presentes na configuração. Com um ambiente destes é possível criar aplicações profissionais em Java, tanto aplicações WEB quanto aplicações corporativas.

Para conhecer outros plug-ins disponíveis para a plataforma Eclipse, acesse a página de plug-ins do projeto [12]. Atente sempre para as versões suportadas pelos plug-ins, assim como para as licenças que regem a sua utilização.

Referências

[1] Plataforma Eclipse: http://www.eclipse.org

[2] Eclipse Web Tools Platform (WTP): http://www.eclipse.org/webtools/

[3] JBoss Tools: http://jboss.org/tools.html

[4] JUnit: http://www.junit.org/

[5] EclEmma: http://www.eclemma.org/

[6] Astah Community: http://astah.change-vision.com/en/product/astah-community.html

[7] Jude Community: http://jude.change-vision.com/jude-web/product/community.html

[8] BIRT Project: http://eclipse.org/birt/phoenix/

[9] IReports: http://jasperforge.org/projects/ireport

[10] Sun Microsystems: http://www.sun.com/

[11] Eclipse Downloads: http://eclipse.org/downloads/

[12] Plug-ins para o Eclipse: http://www.eclipseplugincentral.com/

3 comentários sobre “Preparando um Ambiente de Desenvolvimento Java EE Baseado em Eclipse

  1. Gustavo, mais um post nota 10, cara completinho esse, e ainda com imagens e organizado, sem comenarios, vc está de parabens.Eu imagino o trabalho e horas que gastou fazendo isso. Tenho que confessar, nao consigo fazer assim, pois ia consumir um tempo que nao tenho, dai eu faco um particionamento dos assuntos, hehe.
    Entao tenho que tirar o chapeu para vc, pela dedicação.
    abracos,

    • Olá Camilo, muito obrigado.
      Tenho que confessar que realmente dá um baita trabalho, e até por isso não posto com tanta frequência. Quando saem os tutoriais, são um “parto” rsrsrs
      Preciso postar mais coisas como dicas rápidas, mas gosto desses tutoriais maiores, apesar de darem trabalho. Sou detalhista a ponto de me preocupar com as rebarbas nas imagens de print =P

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s